segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

UMA COISA É UMA COISA, OUTRA COISA É OUTRA COISA

E,,, UMA COISA É UMA COISA,
OUTRA COISA É OUTRA COISA
ONTEM FOI A 1ª MEIA FINAL DO FESTIVAL DA CANÇÃO À PORTUGUESA. Confesso que nem me lembrava de tal e só um daqueles bocejantes zappings que sucedem a quem está farto das 'soirées telenoveleiras' que não andam nem atrasam me colocou no canal 'certo'! 
Também confesso que não me demoraria muito por lá mas a minha insana curiosidade fez-me retardar a nova mudança de canal. Não há surpresas! Fraquinho, fraquinho
(tal como no ano passado, no ano antes e nos outros dez ou vinte, antes do antes,)
foi sempre assim. Letras difíceis em melodias que não ficam, cantadas por vozes que parecem mais talhadas para dizer do que para entoar.Nalguns casos, eu que sou 'duro' de ouvido até saltei numa persistente desafinação.
Resumindo! Se a 2ª meia final não for melhor, a final já se sabe como será
(tal como no ano passado, no ano antes e nos outros dez ou vinte, antes do antes)
O QUE SE DIZ AGORA? 
AH! MAS NO ANO PASSADO A CANÇÃO DOS MANOS SOBRAL, OH LÁ LÁ.!
Pois! Gostava era de saber quantos dos espectadores que no ano passado estiveram a assistir ao festival não terão dito: GRANDE MISÉRIA! E incluído nessa 'miséria' a canção ganhadora que até nem ia lá fazer nada, não era canção para festival, que o gajo parecia miar, etc, etc,
Sejamos sinceros e em consciência digam-me! Quantos de nós terão (como eu) achado que era assim!?
Quando Salvador pôs o festival da Eurovisão em pantanas e a menos de meio da votação já os comentadores vaticinavam uma vitória 'sem espinhas', a opinião de quase toda a gente passou imediatamente de uma cançãozinha mais ou menos, ainda por cima pouco festivaleira e cantada em português que poucos entendem podia lá ganhar?
E, UM OUTRO ARGUMENTO SOBERANO! É que os outros países, ainda por cima os de Leste faziam sempre 'vaquinha' e os ocidentais, incluindo os nuestros hermanos, estavam-se nas tintas para nós, NUNCA PODERÍAMOS GANHAR NADA!
AQUILO ESTAVA TUDO FEITO! Pois bem. Foi pelo facto de termos ganho que tudo passou a ser transparente e a canção passou a ser indiscutivelmente uma boa canção?
POR ISSO, talvez seja melhor esperar pelo festival na arena do genro do senhor Silva ou, vá-se lá saber, pela mãozinha milagrosa da Senhora. Ou, mais certeiramente, esperar para que o MARKETING continue a funcionar e PORTUGAL não saia da moda.

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

A REVOLTA DO PORTO E O MAPA COR DE ROSA

A 31 de Janeiro de 1891 dá-se um levantamento militar na cidade do Porto, contra o governo da Coroa. As forças revoltosas, vindas do Campo de Santo Ovídio (hoje Praça da República), descem a Rua do Almada, até à Praça de D. Pedro, (hoje Praça da Liberdade), onde, em frente ao antigo edifício da Câmara Municipal do Porto, hasteiam uma bandeira vermelha e verde, símbolo do partido republicano, ao mesmo tempo que o Dr. Alves da Veiga, uma das figuras cimeiras desta revolta, proclama o governo provisório da República.
A multidão sobe depois a Rua de Sto António em direcção à Praça da Batalha, onde é confrontada com artilharia e fuzilaria da então Guarda Municipal, fiel à monarquia.
Há centenas de mortos e número incontável de feridos.

Alguns dos implicados conseguiram fugir para o estrangeiro: Alves da Veiga iludiu a vigilância e foi viver para Paris: o jornalista Sampaio Bruno e o Advogado António Claro alcançaram Espanha, assim como o Alferes Augusto Malheiro que daí emigrou para o Brasil.


Um ano antes o governo britânico entregara a Portugal um ultimato que exigia a retirada de todas as forças militares que ocupavam a zona entre Moçambique e Angola, que ficou conhecida por 'Mapa Cor de Rosa' pois acompanhava a pretensão inglesa um mapa de África que tinha uma estreita faixa pintada a cor de rosa composta pelos territórios pretendidos pela coroa inglesa..
O governo da monarquia portuguesa cedeu a esta imposição, procedimento que não agradou ao partido republicano que . considerando este acontecimento uma afronta dos nossos mais antigos aliados (diz-se) se tornou a causa da revolta de 31 de Janeiro do ano seguinte.
A reacção oficial seria implacável, tendo os revoltosos sido julgados por Conselhos de Guerra, a bordo de navios, ao largo de Leixões: o paquete Moçambique, o transporte Índia e a corveta Bartolomeu Dias .
Para além de civis, foram julgados 505 militares.
Seriam condenados a penas entre 18 meses e 15 anos de degredo em África cerca de duzentas e cinquenta pessoas. Em 1893 alguns seriam libertados em virtude da amnistia decretada para os então criminosos políticos da classe civil.
Em memória desta revolta, logo que a República foi implantada em Portugal, a então designada Rua de Santo António foi rebaptizada para Rua de 31 de Janeiro, passando a data a ser celebrada dado que se tratava da primeira de três revoltas de cariz republicano efectuadas contra a monarquia constitucional (as outras seriam o Golpe do Elevador da Biblioteca, e o 5 de Outubro de 1910).

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

NA PONTA DA LÍNGUA

ONTEM MORREU O SENHOR IKEA. 
Chamava-se Ingvar Feodor Kamprad e nascera há 91 anos em Agunnaryd, Suécia. Morre no ano em que a empresa que fundou comemora 75 anos. Acabou os seus dias, na sua casa de Smaland, apenas rodeado pelos mais próximos, de forma tão discreta e tranquila como vivera. Sem cultivar os néons da fama, sem necessidade de luxos e mordomias. Um exemplo de empreendedor em que a humildade foi na sua vida o fio condutor para a felicidade. Deixou toda a sua fortuna avaliada em 65 mil milhões de coroas suecas aos seus colaboradores.
UM DIA NO PAÍS DAS MARAVILHAS
No país das cunhas, dos favores, dos jeitos, das lembranças, dos etecéteras, não deve haver praticamente ninguém que já não tenha uma vez na vida, pedido ou feito, pelo menos, um etecétera. Há quem resista melhor ou pior; há quem recuse mesmo colaborar mas piores de todos são os que acreditam mesmo que nada se consegue sem uma cunha, um favor ou um jeito, claro que sempre tem a tal lembrança como espécie de gorjeta pelo etecétera.

A operação LEX é apenas mais uma! O país democrático não aprendeu nada. Estamos todos mergulhados num verdadeiro pântano em que o carácter passou a ser mais um etecétera que se vende a troco de uns euros. Uma insana ambição e a vertigem pelo dinheiro como único caminho em direcção ao poder e ao sucesso atirou para trás das costas valores que defendiam a dignidade pessoal e social. 
O resultado a que se chega é, por vezes tão complexo que duvidamos que alguma vez o prevaricador seja castigado.

Hoje, mais de uma centena de inspectores judiciários, oficiais de justiça e juízes do supremo entraram manhã cedo em 33 locais tão distintos como a sede da SAD do Benfica, as casas de juízes desembargadores e presidente do SLB e escritórios de advogados e locais de trabalho de juízes.
Ontem, foi o ministério das finanças e o gabinete do ministro.
Em anos anteriores foram administradores de bancos e de empresas públicas, altas patentes militares, magistrados, secretários de estado, ministros e até um primeiro ministro que estão a ser investigados e suspeitos de crimes económicos.

COMO DIZ MIA COUTO: "A tragédia dos países pobres é que em vez de produzirem riqueza, produzem ricos".
Certo! A que preço. Quanto custam à arraia miúda sustentar estes ricos? O empobrecimento, digo eu. 
É por isso que neste caos mascarado de ordem, os tais ricos estão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres.

ONTEM MORREU um dos homens mais ricos do mundo.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

DIVAGAÇÕES RARÍSSIMAS.

DIVAGAÇÕES RARÍSSIMAS.
TODOS OS ANOS É ISTO! Entramos na recta final, afinal hoje é o tricentésimo quadragésimo oitavo dia do ano e a cena repete-se. Boas Festas, Festas Felizes, Santo Natal, Ano Novo Próspero, Boa Saída e Melhor Entrada, etc.
A quadra convida-nos a sermos todos uns bonzinhos para todos sem distinções de género, raça, credo ou outra coisa qualquer, nem que seja apenas por uns quinze dias.
No geral trata-se de um exercício mais ou menos confuso de intenção programada que leva a um esforço de boa vontade. Mas pronto!

DIZ O POETA QUE NATAL é todos os dias, Natal é quando um homem quiser e é bem verdade, a começar por não se saber bem se o menino nasceu realmente em Dezembro ou Março ou mais provavelmente em Agosto como documentos históricos recentemente encontrados deixam suspeitar mas isso não interessa nada! Pelo menos por agora...
A PROPÓSITO DE NASCIMENTOS foi em 1503 que nasceu 
em Saint-Rémy-de-Provence, MIQUEL DE NOSTRADAMA, aliás NOSTRADAMUS, que foi médico e praticava a alquimia (como muitos dos médicos no século XVI) que acabou por ficar na História pela sua suposta capacidade de vidência e pela sua obra "As Profecias", composta de quadras unidas em blocos de cem (centúrias) que alguns acreditam conter previsões codificadas do futuro.
Sofria de epilepsia psíquica, de insuficiência cardíaca e de gota e morreu com 62 anos sem nunca ter saído da região onde nasceu.

NASCIMENTOS HÁ TODOS OS DIAS e partos difíceis também. O caso RARÍSSIMAS vai ser mais um. 
O problema maior é que penso que onde estão interesses instalados e onde os poderosos metem a unha ou são convidados a cair em tentação, a JUSTIÇA apenas torna TRANSLÚCIDO o que deve ser TRANSPARENTE e, embora isto já seja melhor que continuar OPACO, fica sempre aquela sensação amarga de que sabemos apenas aquilo que outros acham que devemos ficar a saber para pensarmos que sabemos mesmo tudo!

Bem, divagações por divagações, vou mas é divagar para a cama e despeço-me, como sempre o faço, desejando que TENHAM UMA EXCELENTE NOITE que eu sou dos pensa que Natal é todos os dias e todas as noites. 
Uma fartura!

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

HÁ COISAS QUE SÃO RARAS, OUTRAS NEM POR ISSO

LÁ POR SER DIA DO VIOLINO não nos dêem mais música.
HÁ LADRÕES QUE PARA SACAREM dinheiro precisam de rebentar com caixas multibanco a coberto das sombras das madrugadas, mas fazem sempre enorme barulho e são logo perseguidos e presos, passado mais ou menos pouco tempo.
HÁ OUTROS QUE O SACAM sem precisar de rebentar caixa e fazem-no silenciosamente durante anos a fio,até que um dia alguém resolve bater com a língua nos dentes e então é um estrondo do caneco.
MAS, AO CONTRÁRIO dos primeiros não vão logo presos e resolvem a coisa andando mais uns anos por audiências nos tribunais, de requerimentos em requerimentos, uns processos até prescrevem e outros não se escrevem...
HÁ COISAS QUE SÃO RARAS, outras nem por isso. 
RARÍSSIMAS é o nome de uma das coisas que nem por isso.
A senhora que geria a instituição decidiu que devia ter um salário razoavelmente razoável, que também devia ser paga pelas viagens que gostaria de fazer que ainda teria de andar num 'pópó' de uma 'marca executiva' que devia vestir bem e comer ainda melhor, por isso, no silêncio dos gabinetes, durante anos e anos, foi rebentando com a escrita da instituição que dirigia sem que ninguém, ao que parece, tenha dado por isso....de repente, o escândalo estrondou e agora toda a gente 'com a corda ao pescoço', incluindo a dita senhora, dá entrevistas e fala para os micros televisivos, dizendo que as contas estão auditadas e certas, que nunca se fez nada fora da lei, que nunca foi detectada nenhuma acção fraudulenta. 
Estamos então no lodaçal em que coisas que deviam ser RARÍSSIMAS são 'nem por isso'. 
E, o piro disto tudo, é que a gente vai-se habituando a estes 'violinos' que nos querem dar uma melodia muito melodiosa ou nem por isso.